Monte das Oliveiras
anuncieaqui

A Importância da Água | Estância Turística de Joanópolis - SP

Joanópolis

Serviços

Notícias

A Importância da Água
Ecologia
Enviado por Diego de Toledo Lima da Silva   
Seg, 20 de Abril de 2009 11:31

CachoeiraA água é o recurso natural mais utilizado e importante para a vida humana, mas também é o mais ameaçado. A ameaça ocorre pelo crescimento desordenado das cidades e da população, causando a contaminação dos mananciais pela ocupação irregular, além de causar a chamada escassez. O desperdício é outro grande problema, a má utilização e a falta de educação sanitária seus grandes causadores. Temos também o aumento do consumo mundial de alimentos, produtos industriais, eletrodomésticos e bens diversos, que exigem grande quantidade de água na sua produção.

Mas a população não é informada que um dos grandes responsáveis pelo desperdício de água são os sistemas públicos de distribuição nas cidades, por deficiência técnica e administrativa dos serviços de abastecimento de água, provocados, por exemplo, por vazamentos e rompimentos de redes. Essas perdas também se devem à falta de investimentos em programas de reutilização da água para fins industriais e comerciais, pois a água depois de utilizada é devolvida aos rios sem tratamento, em forma de efluentes, esgotos e, portanto, poluída.

A falta de tratamento de esgoto é um dos grandes fatores de poluição dos rios, pois durante séculos o homem utilizou os rios como receptores dos esgotos das cidades e dos efluentes das indústrias que reúnem grande volume de produtos tóxicos e metais pesados. Essa prática resultou na morte de enormes e importantes rios - no estado de São Paulo o maior exemplo é rio Tietê que corta o estado de leste a oeste, com 1100 km de extensão, seguido dos rios Jundiaí, Piracicaba, Pinheiros e outros bastante degradados e castigados pela poluição.

Além da poluição direta, por lançamento de esgotos, falta de sistemas de tratamento de efluentes e saneamento, há a chamada poluição difusa, que ocorre com o arrasto de lixo, resíduos e diversos tipos de materiais sólidos que são levados aos rios com a enxurrada. Ao "lavar a atmosfera", a chuva também traz poeira e gases aos corpos d'água.

É comprovado que a cada 1 real investido em saneamento básico economiza-se 5 reais em investimento público na saúde, apenas esta economia já justificaria qualquer investimento, mas podemos acrescentar muitos outros, como aumento da qualidade de vida, sustentabilidade ambiental, planejamento urbano e rural, preservação dos recursos hídricos, garantindo sua disponibilidade e vazão, entre tantos outros fatores.

Outro grande problema enfrentado pelos governos é o lixo, resíduo cada vez maior e mais preocupante, não só na questão ambiental, mas como um problema de saúde pública. O lixo quando disposto de maneira e em locais inadequados ou nos famosos "lixões" geram impactos ambientais como a contaminação do lençol freático, dos recursos hídricos, do solo, mau-cheiro, atração de animais peçonhentos e doenças ao homem. A mudança para os aterros sanitários e outras formas de tratamento, além da necessidade de implantação da coleta seletiva e reciclagem no âmbito dos municípios é muito importante e deve ser incentivada, pois a reciclagem é uma forma de prolongar a vida útil dos aterros.

Devemos ressaltar que, mesmo sendo atualmente considerada a forma mais adequada de disposição do lixo, os aterros sanitários devem ser monitorados frequentemente, devido ao chorume (líquido gerado pelo apodrecimento da matéria orgânica) que possui um alto potencial de contaminação do lençol freático, além do Metano (gás produzido pela decomposição de matéria orgânica e outros materiais dispostos nos aterros) que é um grande causador do efeito estufa, muitas vezes mais nocivo que o tão falado Dióxido de Carbono.

No caso de Joanópolis, a disposição do lixo já ocorre em sistema de aterro sanitário aprovado pela CETESB (órgão de meio ambiente no Estado de São Paulo), e a SABESP trata grande parte do esgoto gerado pela população.

Mas todo este cenário exige uma mudança, começando pelo nosso uso doméstico e nossos padrões de consumo até as políticas públicas. É muito importante preservamos os recursos hídricos, recompondo as matas ciliares, controlando erosões, conservando o solo agrícola, estradas rurais e evitando o desperdício, para que possamos desfrutar sempre deste recurso tão importante e necessário à vida.

"De tanto ver, fiquei cego; surdo de tanto escutar. Ainda me sinto gente, mas não posso respirar. Tem veneno em toda terra, mil fumaças pelo ar. Não tem pássaro nem bicho, e monte líquido de lixo se tornou a água do mar.." (Cuidar do Homem, Belchior)

 
Diego de Toledo Lima da Silva
Servidor Público Estadual da CATI (Coordenadoria de Assistência Técnica Integral) e Técnico Ambiental, cursando Engenharia Ambiental. Atualmente reside em Limeira/SP.

Mostrar outros artigos desse autor: