Monte das Oliveiras
anuncieaqui

Joanópolis: "A Jóia da Mantiqueira" | Estância Turística de Joanópolis - SP

Joanópolis

Serviços

Notícias

Joanópolis: "A Jóia da Mantiqueira"
Ecologia
Enviado por Diego de Toledo Lima da Silva   
Seg, 09 de Novembro de 2009 00:00

Entrada do município, sendo que, ao fundo podemos notar o relevo predominante na área e a Serra da Mantiqueira.Joanópolis está encravada na Serra da Mantiqueira, na divisa com Minas Gerais, localizada a 110 km de São Paulo. O município está localizado a uma altitude de 930 metros, tendo uma variação altimétrica de 844 metros (Represa Jaguari/Jacareí) até altitudes próximas de 2.000 metros.

 

O clima joanopolense é o Tropical de Altitude (classificação segundo Koeppen de Cwa - Mesotérmico Úmido). As chuvas são mais concentradas no verão e temperaturas menos elevadas devido ao fator altitude. A temperatura média é 19,2º C, sendo que a maior temperatura média é 27,4º C (janeiro) e menor temperatura média é 8,6º C (julho). O volume de chuva médio é de 1510 mm ao ano, sendo que o mês com o maior volume de chuvas médio é janeiro com 242,6 mm, e o mês com o menor volume de chuvas médio é julho com 32,7 mm. (Fonte de Dados: CEPAGRI - UNICAMP)

No trecho das cabeceiras dos cursos da água, na Serra da Mantiqueira, os índices de chuva chegam a superar 2000 mm ao ano.

A presença da Represa Jaguari/Jacareí no município é responsável por um processo de retenção de umidade na região, devido ao alto volume de evaporação da barragem, e o fenômeno de geada é comum na área do município (sendo que nos meses de frio as temperaturas chegam a ser negativas), principalmente nas áreas mais altas da Mantiqueira.

O município encontra-se localizado na Bacia Sedimentar do Paraná, sendo que podemos agrupar Joanópolis nos seguintes domínios geológicos: as rochas metamórficas e as rochas graníticas, pertencentes ao embasamento cristalino (Período Pré-Cambriano) e são caracterizadas, em geral, pelo comportamento mais resistente (duro e coerente) e principalmente pela presença de estruturas orientadas, tanto xistosas como migmatíticas e gnáissicas.

A Província Geomorfológica que abrange o município é o Planalto Atlântico, relacionado ao embasamento Cristalino e a Zona é a Serra da Mantiqueira. A forma de relevo predominante é o Montanhoso, com a característica de Serras Alongadas; e o Relevo de Morrotes, caracterizado por morrotes alongados e espigões. A topografia é bastante acidentada.

Os solos do município são argilosos, profundos e muito profundos, com baixa quantidade de minerais primários e baixa reserva de elementos nutritivos para as plantas, além de predominantemente ácidos e constantemente lavados pelo alto volume de precipitações.

Estes tipos de solos são originados sob a influência de um clima relativamente quente de precipitações abundantes. São relacionados à litologia Pré-Cambriana, metamórfica, notadamente gnaisses e granitos, com algumas ocorrências de básicas e metabásicas e também sedimentos recentes, nas planícies de alguns rios.

Rio Cachoeira e a formação litológica característica da Cachoeira dos Pretos.A hidrografia do município é bastante extensa, tendo como principais corpos hídricos os rios Jacareí (que corta o município, bacia de grande importância local e estadual) e Cachoeira (Cachoeira dos Pretos - 154 metros de queda da água), os ribeirões da Correnteza, da Vargem Escura, do Cancã (microbacia hidrográfica onde é desenvolvido o "Projeto Produtor de Água no PCJ", um dos projetos pioneiros do tipo no Brasil), dos Pires (Cachoeira dos Pires, local de formação granítica e granulítica, e de águas claras e límpidas) e do Sabiaúna, e os Córregos das Águas Claras, do Bocaina, do Azevedo e dos Pintos.

Joanópolis está totalmente inserida na área produtora de água do Sistema Cantareira, sendo que a Represa Jaguari/Jacareí (duas barragens conectadas por um canal que faz com que sejam operadas como um único Reservatório, barragem esta que inundou as áreas mais planas e férteis do município) contribui com o envio de 22 mil litros por segundo ao Sistema, utilizado no abastecimento da Região Metropolitana de São Paulo (aproximadamente 8,8 milhões de pessoas) e a jusante da Represa a Região de Campinas (outros 5 milhões de pessoas), sendo que a água segue por gravidade para o Reservatório Cachoeira (um dos tributários deste Reservatório é o Rio Cachoeira) através do túnel 7 do Reservatório Jacareí.

Rio Jacareí, corpo hídrico utilizado no abastecimento da população joanopolense e um dos tributários da Represa Jaguari/Jacareí.Esta importância ambiental que exerce o município é compreendida pelo desenvolvimento de diversos Programas e Projetos (públicos, privados e voluntários) como o Programa Estadual de Microbacias Hidrográficas (PEMH - CATI/SAA - Coordenadoria de Assistência Técnica Integral), o Projeto Mata Ciliar da Secretaria de Meio Ambiente - SMA/SP, o Projeto "Produtor de Água no PCJ", que remunera o produtor rural pela correta conservação do solo, manutenção da qualidade dos recursos hídricos, entre outros serviços ambientais (desenvolvido pela SMA/SP, CATI/SAA, a Prefeitura Municipal, o Comitê de Bacias PCJ e a ONG TNC); o Projeto "Bacia do Rio Jacareí", o Programa de Restauração e Recuperação das Matas Ciliares da Prefeitura Municipal, além de programas e projetos de educação ambiental desenvolvidos por diversas entidades, principalmente a ONG Pró-Joa "Associação para o Desenvolvimento Social de Joanópolis".

A biodiversidade presente no município é bastante abrangente, possuindo 12,44% de sua área com remanescentes da Mata Atlântica (uma das maiores reservas do estado), e aproximadamente 17% de sua área rural coberta por vegetação nativa e vegetações de brejo e várzea. Está inserida em duas APAs - Área de Proteção Ambiental (há sobreposição de uma área sobre a outra), que é uma Unidade de Conservação de Uso Sustentável, ou seja, uma área de interesse ecológico com média a alta ocupação humana. Atualmente uma das APAs possui colegiado gestor e está em fase de implantação do Plano de Manejo e do Zoneamento, enquanto a outra unidade continua sem regulamentação.

O Bioma Mata Atlântica é um ecossistema que levou milhões de anos para se formar, gerando diversos benefícios diretos e indiretos para a população. Uma alta porcentagem das espécies da flora e fauna que vivem neste ecossistema são endêmicas (ocorrem nestas áreas restritas) e muitas estão ameaçadas ou em risco de extinção.

Joanópolis é uma jóia a ser preservada, pesquisada, visitada, conservada e, também, que seja promovida a recuperação das áreas degradadas e impactadas. Conheça a Jóia da Mantiqueira e apaixone-se por ela.

Referências Bibliográficas:

- CEPAGRI - Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura - UNICAMP. Clima dos Municípios Paulistas. Disponível em: <http://www.cpa.unicamp.br/outras-informacoes/clima_muni_291.html>. Acesso em 21/10/2009.

- SECRETARIA DE AGRICULTURA E ABASTECIMENTO. Coordenadoria de Assistência Técnica Integral. Instituto de Economia Agrícola. Levantamento censitário de unidades de produção agrícola do Estado de São Paulo - LUPA 2007/2008. São Paulo: SAA/CATI/IEA, 2008. Disponível em: <http://www.cati.sp.gov.br/projetolupa>. Acesso em: 26/10/2009.

- SILVA, DIEGO DE T. L. - Artigos Diversos - Estância Turística de Joanópolis - Ecologia. Disponível em: <http://www.joanopolis.com.br/ecologia.html>. Acesso em 25/10/2009.

- WHATELY, MARUSSIA - Cantareira 2006: um olhar sobre o maior manancial de água da Região Metropolitana de São Paulo. São Paulo: Instituto Socioambiental, 2007.

 
Diego de Toledo Lima da Silva
Servidor Público Estadual da CATI (Coordenadoria de Assistência Técnica Integral) e Técnico Ambiental, cursando Engenharia Ambiental. Atualmente reside em Limeira/SP.

Mostrar outros artigos desse autor: