Monte das Oliveiras
anuncieaqui

Emoção | Estância Turística de Joanópolis - SP

Joanópolis

Serviços

Notícias

Emoção
Saúde
Enviado por Cleber Torres de Oliveira   
Seg, 20 de Abril de 2009 11:39
coracaoJá ha algum tempo o estudo das emoções vem recebendo destaque nos meios científicos evidenciando assim o seu papel no comportamento humano, na forma como agimos e fazemos escolhas motivadas por emoções e por sentimentos. Durante nosso caminho evolucionário as emoções agiram modulando nosso comportamento, regulando funções de nosso organismo de forma a adaptá-lo ao ambiente e as inúmeras situações vividas, principalmente as que oferecem risco, ajudando também a exercermos nossas funções sociais e, portanto, a conviver com outras pessoas.

Imagine-se numa situação de perigo, seu corpo fica tenso, você sente o coração bater mais forte, a pele ganha um aspecto pálido, e muitos pensamentos parecem passar rapidamente por sua cabeça; ou então, numa situação onde você se deparou com algo podre exalando um cheiro horrível sentindo enjôo, náusea; ou, quando se deparou com algo inesperado que lhe causou surpresa, fazendo-o enrugar a testa erguendo as sobrancelhas. Essas são respostas inatas, não-aprendidas, ou seja, já trazemos conosco em nossa bagagem genética, por isso é possível reconhecer os mesmos padrões de expressões faciais que indicam emoções em diversos povos, em todo mundo, como expressões de: felicidade, tristeza, surpresa, raiva, desprezo, nojo, etc. No entanto, uma reação emocional é capaz de desencadear reações fisiológicas que vão além das expressões faciais, produzindo alterações em todo o organismo.

As emoções estão intrinsecamente ligadas aos nossos sentimentos, vamos a um exemplo: suponhamos que uma pessoa está dirigindo e de repente sente o coração acelerar, aperta suas mãos com força contra o volante, mas consegue frear a tempo de evitar um acidente. A emoção nesse caso foi o conjunto das respostas que seu organismo emitiu no momento em que ocorreu o fato, portanto, diz respeito principalmente as alterações fisiológicas ocorridas no organismo no momento em que passava por esse acontecimento, como: aumento da pressão arterial e freqüência cardíaca, contração do baço liberando hemácias para o transporte de oxigênio, redistribuição do suprimento sangüíneo da pele e vísceras para o cérebro e músculos, dilatação das pupilas para aumentar a acuidade visual, e estimulação do sistema linfático a fim de aumentar os linfócitos circulantes com vistas a reparar danos aos tecidos, liberação de adrenalina resultando em um aumento do metabolismo e da liberação dos estoques de energia. Além de todas essas alterações fisiológicas também há uma impressão psicológica correspondente a esse ocorrido, que ficará na memória. Um sentimento pode levar uma pessoa a manifestar emoções, e as emoções também podem levar uma pessoa a manifestar sentimentos, como no exemplo, o motorista pode ficar zangado com outro motorista, ou poderá se sentir aliviado e contente por não ter lhe ocorrido nada de mais, mas essa impressão estará ligada ao que sentiu no momento, e depois no que esse fato representou. O sentimento é uma impressão mais profunda e elaborada que desenvolvemos por situações, coisas e pessoas, enquanto a emoção diz respeito as sensações e alterações psicofisiológicas produzidas no organismo em determinada situação, podendo ser evocadas por lembranças e sentimentos.

O fato é que os sentimentos e as emoções dominam nosso comportamento principalmente em situações marcantes de nossa vida, somos muito mais suscetíveis a agir pela emoção do que pela razão, afinal de contas a emoção é muito mais rápida que a razão. Podemos dar um sobressalto quando alguém nos da um susto de brincadeira, mas não conseguimos evitar que nosso coração deixe de bater mais forte por perceber que aquele susto não se constitui em perigo, não importa, a emoção fez com que o nosso organismo ficasse preparado para uma reação, sendo que cada pessoa tem uma maneira peculiar de demonstrar suas emoções, e também seus sentimentos.

Enviem perguntas ou sugestões de assuntos para que possamos abordar futuramente, um grande abraço a todos e até a próxima.

 
Cleber Torres de Oliveira
Cleber Torres de Oliveira, Psicoterapeuta, atua na área de Treinamentos da RAS, ajudou a desenvolver o site www.comportal.com.br, e também é músico de fim de semana.

Mostrar outros artigos desse autor: